30 abril 2014

A inspiração ou a criatividade?

Sempre me achei criativa, pessoas sempre me disseram também. Mas daí que customizar roupas, acessórios, móveis e etc. não garante grau de criatividade nenhuma né?!

Não sei quem ou quando começou, mas agora as promoções são assim: elabore uma frase criativa e blá blá blá. Que saco! Ok a chance agora ficou mais concreta! O problema é que inspiração é diferente da criatividade, ou elas se convergem, ou são uma parte da outra, uma surge da outra? Não sei! A inspiração vem involuntariamente. A criatividade?


Bom, só sei que consigo fazer alguma coisa depois de pensar muito e a melhor opção eu escrevo. Já participei de uma promoção pensando nisso. 

Então que a promoção foi a seguinte:

A MTV, anos atrás, pediu para os expectadores elaborarem a maldita frase. O conceito era o seguinte, dizer qual a sua série favorita, no meu caso escolhi o Box de HEROES primeira temporada completa, e depois dissesse qual o poder que eu gostaria de ter e por quê?

Cara fiquei louca... pensei, pensei, pensei... então mandei:

“Gostaria de ter o poder da criatividade, por que toda promoção agora exige uma frase criativa”.

GANHEI!!!!



29 abril 2014

Longe de Casa

Estive pensando em como é ótimo ficar longe de tudo que se conhece e apreciar novas experiências, sorrir com o inusitado, conhecer quem realmente se é longe da família e dos amigos, analisar suas atitudes em lugares desconhecidos.

Ter que começar do zero. 
Aproveitar para fazer ou dizer o que sempre quis, mas tinha vergonha. Não ter o privilégio de compartilhar aquela troca de olhares e sorrisos cúmplices com os amigos. 


Quando se sai de casa e procura-se aprender por si, buscar novos caminhos em que conselhos não vão estar lá na hora que precisa, é nessa hora que agente procura algo que nos faça sentir confortáveis, um lar fora de casa.

Cada um tem seu método, particularmente a música sempre me ajuda quando é inevitável ficar sozinha, ela abranda meu medo do desconhecido, me faz fechar os olhos e sorrir, me dá o aconchego de um abraço (cara sou muito piegas), e se tem uma música que me provoca todas essas sensações, esta música é “Sweet Child O’ Mine” (Guns N’ Roses). Simplesmente transforma meu estado de espírito. Não existe outra letra, melodia, riff que me faça mais feliz quando estou longe de casa.


14 abril 2014

A Náusea

No, no, no, não é sobre o livro de Sartre que vou falar. Mas daquele livro infeliz 
 “A Metamorfose” do orelhudo do Kafka.
Pra quê eu fui ler?

Clássico, eu gosto bastante dos autores clássicos. Daí você lê uma resenha se anima e nem imagina o trauma pós-leitura que terá, inevitavelmente.

 Gregor Samsa se transforma em um inseto monstruoso, simples assim.
Ai mas dá um nojo, uma pena, uma tristeza, uma indignação, uma repulsa.  Fui tão absorvida pela imagem grotesca de Gregor que não conseguiria ler esse livro de novo, nem para pegar a essência do autor, seja lá o que for.

Tudo bem que por trás de toda ficção há uma projeção da realidade. E quando você entende o perfil do escritor: ...“os personagens Kafkianos sofrem de conflitos existenciais, como o homem de hoje. Os personagens não sabem que rumos podem tomar, não sabem dos objetivos da sua vida, questionam seriamente a existência e acabam sós, diante de uma situação que não planejaram, pois todos os acontecimentos se viraram contra eles, não lhes oferecendo a oportunidade de se aproveitar da situação e, muitas vezes, nem mesmo de sair dela”. 


Tão absurdo, tão fantástico!!!



09 abril 2014

Choque para a Quarta

Na minha inocência não achei que poderia sentir um choque maior que a do filme “Desejo e Reparação”, eis que leio “O Colecionador” de John Fowles... E ainda vi referências de “50 Tons de Cinza” e isso me irritou, mas é lógico. Exatamente com: o sobrenome Grey, os “olhos cinzentos”, acho que isso foi citado duas vezes; e umas seis vezes “ruborizei”. Ninguém merece. O que me fez pensar que E.L. James tenha pegado uma faísca da estória.

Frederick se apaixona loucamente por Miranda e a sequestra, daí por diante segue-se seus delírios. Dá um dó, uma raiva... Fiquei imaginando que pode sim, claro, existir vários Frederick Clegg por aí. Aquele verme, egoísta, psicopata, mesquinho, detestável e qualquer outro adjetivo repulsivo.

Gosto muito quando o autor expõe as fraquezas do protagonista, apesar de que, no caso dele, não seja apenas um defeito e sim um desvio de caráter.
Enfim, foi o primeiro livro de John Fowles que li, gostei bastante.
A história te deixa super ansioso pelo final e você fica se perguntando: ele é mesmo vilão, Miranda vai se apaixonar por ele, vão descobrir o cárcere?

Cena do filme

Vou ter que ler novamente por que com a pressa de saber o final nem prestei muita atenção às divagações de Miranda, G.P - que é outro personagem excêntrico (eu achei) e do próprio Frederick Clegg.

Mal posso esperar para ler os outros Títulos do autor, sem falar que amo mesmo quando o autor faz referência a outras obras, autores, pintores, músicos, como John Fowles fez a partir de Miranda.


Clássico imperdível.

07 abril 2014

Influência Musical

A primeira vez que vi Britney Spears foi tipo “quero ser ela”, típico... Linda, loira, corpão, mas depois ela me despertou a paixão pela dança, nem me importava tanto com as letras e a beleza dela, mas queria fazer aquela coreô de “... Baby One More Time” e a cada disco eu aprendia mucho mais... Que mico, mas eu perdi 3 kg nessa brincadeira!
Então que muitas Boy Bands depois e ainda no ensino médio... Surge Avril Lavigne com sua guitarra rabo de peixe, preta e branca, lápis no olho e visual machinho, meu primeiro exemplo de rebeldia ok, ok... Então que investi em um pôster dela no meu caderno, comprei lápis para os olhos e, claro, pedi a meu irmão que me ensinasse no violão “I’m With You”, mas nunca aprendi direito, só as notas separadamente. 
Eis que na faculdade um pouco saturada das mesmas músicas e estilos... Numa tarde iluminada no computador, com a playlist do meu irmão ligada, ouço uma música que há muito tempo tinha ouvido, mas não sabia quem cantava. Era “Sweet Child O' Mine” me apaixonei pelo Guns N’ Roses, desse momento até um Google, foi vício.
Depois daquelas músicas cheias de atitude e Apetite por Destruição, que devo dizer nem conseguia assistir ao clipe de Welcome To The Jungle, era demais pra mim, sem falar em Rocket Queen que me deixava constrangida, quem ouviu sabe o por quê! Fui conhecer as influências da banda e só foi coisa boa surgindo: Led Zeppelin, Iron, Metallica, Beatles, Stones, Aerosmith, Clash, Dylan, Bowie, Ramones, Chuck Berry, Little Richard, Jerry Lee Lewis, Velvet Underground, The Smiths... Só banda boa mesmo. 
Entendi o que é arte baby e fiquei exigente!!!

Então ressurgiu um desejo enorme de escrever, que começou com poesias no meu primeiro diário e minha paixão por piano após ver “November Rain”. 

Depois surgem em minha vida Amy Winehouse e sua “Rehab” o que foi aquilo?
Depois da Amy >>> Joss Stone, Duffy, Billie Holiday, Aretha Franklin, Adele, Lana Del Rey... E MPB, sim depois disso tudo veio a música brasileira >> Céu, Mariana Aydar, Tiê, Roberta Sá, Vanessa da Mata... E por aí vai.
Tá eu poderia falar de Vivaldi, Mozart, Villa Lobos, Bossa Nova, alguns exemplares que eu tive a sorte clássica de ouvir... E até Roberto Carlos que eu enquadrei aqui por que eles servem a mim para um único propósito: dormir. (permitam-me a arrogância)
O caso é que depois dessas descobertas e afloramento culturais, tava um tempo sem ter tido nenhuma surpresa boa ou influência positiva musicalmente falando, só no revival mesmo até ouvir Lorde, Arcade Fire, Gabriele Aplin, Birdy, One Republic.

04 abril 2014

Srta. Contraditória

Estava aqui sentindo o choque-seguido-de-tristeza-profunda pela última página do livro que li e revivendo aquela mesma história: viro a página e constato que está toda em branco e a próxima são os agradecimentos, e a autora terminou sem avisar.
Aí depois me veio uma sensação realista (pois já estava fantasiando a minha vida) desses romances açucarados, o inevitável final feliz.
Eu percebi que o que mais me irrita é realmente o “final feliz” por isso eu gosto tanto de Hemingway, Kafka, Sartre e Fitzgerald. Ok ás vezes os autores são criativos, mas não deixam de ser bobos.
Tudo tendencioso. E uma mente feminina OMG é terreno fértil.
Mas o problema dos romances é que esses autores/autoras colocam o cara sempre em perspectiva.   Não é questão de protagonistas, mas de que a pessoa não tem o poder de salvar a vida da outra. Pode ser sim inspiradora e mostrar como a vida pode ser maravilhosa se você souber como lidar com seus problemas, mas calma aí né…
Ok, ser romântico é ser mesmo açucarado, ou talvez eu esteja lendo os livros românticos errados.  Na verdade o simples não precisa ser clichê, só transmitir a realidade. Na verdade é que o drama está mais para vida real e a Disney estragou tudo com suas princesas.
Mas, sabe né “All We Need Is Love” e vou continuar lendo essas besteirinhas, até por que às vezes escolho ouvir “Stairway to Heaven”, mas me divirto mesmo é dançando “Ana Julia”.


Empreendedorismo


Esse é um dos temas de que gosto bastante, estudo por vontade mesmo, acho fascinante.

Não apenas empreendedorismo no planejamento e na criação de empresas, mas também no sentido de agregar conhecimento às pessoas, melhorar a forma de trabalho da sua equipe, melhorar o desempenho das pessoas ao seu redor, ou seja, contribuir de alguma maneira para o crescimento/desenvolvimento de algo que você esteja envolvido.
Os assuntos de que gosto são bem variados: Marketing empresarial e profissional e Mkt. Digital também, Branding, Mídias Sociais, Biografias de Líderes, Recursos Humanos, Vendas, Relacionamento com clientes e por aí segue numa trilha magnífica
Às vezes, eu aprendo tanto sobre tudo isso, que nem sei o que fazer com as informações, mas isso é outra história. O que quero informar é onde encontrar material, a maioria de graça e os melhores sites, livros e revistas pra quem gosta muito do assunto como eu. Claro que existem outros livros que ainda não li, assim como sites que ainda não tive contato.
Livros
  • O Segredo de Luísa – Fernando Dolabela
  • Uma Trufa… 1.000 Lojas Depois – Alexandre Tadeu da Costa
  • Sonho Grande – Cristiane Correa
  • A Cabeça de Steve Jobs – Leander Kahney
  • Quem Mexeu no meu Queijo – Spencer Johnson
  • Meninas Normais Vão Ao Shopping – Meninas Iradas vão à Bolsa – Mara Luquet e Andrea Assef
  • A Menina do Vale – Bel Pesce
  • Procuram-se Super Heróis – Bel Pesce
  • Como Fazer Amigos E Influenciar Pessoas – Dale Carnegie
  • Manual Para Jovens Sonhadores – Nathalie Trutman
Sites
 Bovespa – tem várias cartilhas para quem quer aprender sobre a bolsa/investimentos e são bem didáticos.
Administradores – têm posts diversos sobre assuntos corporativos, além de dicas, notícias de mercado e os textos são bem inteligentes.
Você/SA – Assim como a Revista, eu considero imprescindível a leitura.
Pequenas Empresas Grandes Negócios – Um dos meus preferidos, além de reportagens e dicas, mostra vários exemplos de sucesso. Recomendo o programa de tv e a revista também.
Resultados Digitais – têm muito e-book para download grátis, sobre mídias sociais e marketing.
Negocio de Mulher – como o nome já diz, o foco principal é o público feminino, mas não é excludente, todos podem aprender.
Finanças Femininas – também ótimo, principalmente para quem quer aprender mais sobre finanças pessoais.
Endeavor – esse é o meu segundo favorito, têm muita informação, ajuda bastante, além de e-books e matérias correspondentes ao tema.
Geração de Valor – esse é meu favorito disparado, aqui você é o foco principal, são insights super necessários pra vida; mudou muito minha maneira de pensar.
SEBRAE – nem precisa de muita apresentação, o SEBRAE é o campo de estudo e pesquisa pra quem quer ser empreendedor; têm cartilhas importantes sobre variados assuntos relacionados, além de informações sobre o que o empresário precisa saber. Completo. Indispensável.

Um Momento

É tão fácil ser infeliz. É muito fácil se entregar aos problemas, deixar que eles guiem você pelas consequências. É fácil perder a fé. Acreditar em Deus, se confortar pela canção apenas por um momento e não crer que Ele pode te ajudar de verdade se você tiver disciplina e paciência.
É fácil:
Se deixar levar por suas fraquezas.
Estar perdido.
Querer e não saber o quê exatamente.
Querer ir a algum lugar, mas não saber aonde.
Ter insatisfação e falta de perspectiva.
Olhe pra você. Relembre seus sonhos. Há alguns que não podem ser mais conquistados, mas de repente podem ser substituídos.
Se conheça. Veja o que importa de verdade na sua vida apesar do que os outros pensam – que são inúmeras opiniões contraditórias- e que não podem tirar de você.
Seus princípios. Não haja impulsivamente por medo do futuro.
Não tenha medo ou vergonha de pedir ajuda a um amigo de verdade, às vezes, a gente não consegue resolver sozinho. Amigos estão aqui pra isso.
Por favor não espalhe sua infelicidade ao mundo, por que os outros te irão ver apenas como um coitado, vítima da ocasião. Seus amigos de verdade te acolhem e te ajudam de verdade, sem te julgar, só mostrando como você chegou e como sair.
Olhe a situação. Reflita sobre toda a sua vida. Pare para se sentir de todo o coração.
Faça uma lista de soluções e coloque em prática, mesmo que seja um tempo maior e não haja certeza quanto ao final… Lembre-se que dar um passo já garante uma parte da sua vitória; um pensamento positivo, a vontade de mudar sua história, eu acredito muito em pessoas que lutam a cada dia para ser melhor e melhorar a vida de quem amam.
Pode não ser fácil, e não é, lembre-se cada um tem uma grande luta a travar todos os dias, mas só ganham aqueles que são batalhadores. E lembre-se também, que Deus está vendo tudo, e Ele recompensará sua determinação.
Não se autodeprecie. Você é importante. Ninguém pode saber intimamente seu coração e sua situação. Mas como já disse, Deus sabe. Então se conforte que Deus está de olho na sua vida, te sustentando. E se sofremos…  mais uma vez, temos que lembrar de como chegamos a esse ponto.
É tudo muito lógico, mas faz sentido. E há coisas que precisam ser repetidas por que a gente esquece fácil.
 O primeiro passo é acreditar em você e você meu caro pode tudo, contanto que não seja nada imoral nem ilegal, claro.

Esses dias...

Existem momentos em que nenhuma palavra de ânimo atinge realmente o seu objetivo, não fazem o menor sentido. Ahh essa vida adulta!
Então, como é de costume eu tento buscar algum abrigo emocional, qualquer coisa que me mantenha otimista, afinal, a vida a gente sabe como é.
No caminho eu percebo que apesar de não estar onde quero ou estar fazendo o que sonho, existe algo em mim, bem lá no fundo, que não me deixa desistir. Não sei o que é realmente. Deus?
Eu tinha a mania de mergulhar nas minhas dores e ouvir falarem por mim através das músicas. E então me colocava sempre pra baixo. Daí decidi não escutá-las mais. Por que eu não preciso me sentir mais triste para me sentir melhor.
Procurei a partir de então, ouvir o que importa para esses momentos: meu coração, minha mente, entender meus impulsos, me entender, saber verdadeiramente o que procuro, saber o que me define.

Alguém Especial

Tem uma coluna no site da Época que eu espero toda semana com o coração na mão. E quem me apresentou à essa coluna foi minha amiga Little ♥ Que me dá as melhores dicas, devo dizer :D!
Ano passado ele lançou seu livro de crônicas “Alguém Especial”.
Aproveitando o lançamento do livro ele criou uma promoção, pediu que os usuários escrevessem como era “o alguém especial” deles; as melhores respostas ganharam um livro, não fui uma das ganhadoras, infelizmente… Masss selecionei as respostas mais lindas que vi por lá:
…“Deve ter sido aquele sorriso mesmo. Uma, duas, três, são essas minudências, acredito, que ligadas uma a uma, fazem aquela pessoa ter meu cuidado, meu amor incondicional. Fazem dela, um ser raro, um ser especial para mim. E acreditem, não existe um fator determinante, um cálculo matemático. A pessoa vem do acaso, é presente dos céus ou quem sabe é trazida pelo destino, talvez. Ela chega desnuda, desconhecida, um atraente enigma à procura de amor. E não importa se convivemos horas, dias ou meses, a sua cabeça e seu coração já se alinhou em um magnífico emaranhado emocional, que fazem ou já fizeram dela um ser especial para você. E ela torna-se a única capaz de silenciar seu tumulto interno, de findar sua solidão, figurar seus sonhos, caminhar nos seus pensamentos, te encorajar nos momentos mais difíceis. Quando distante, seu peito dilacera de saudade, mas perto seus olhos brilham, coração salta de alegria, e o amor faz-se acreditar. A pessoa especial é a nossa coisa preferida nesse mundo, é aquela que te faz parar de andar a esmo, e escolher convictamente andar em par, lado a lado”.
“Especial para mim é quem me faz jogar por terra a teoria de que a paixão morre depois de certo tempo de relacionamento. É a pessoa que me faz crer que há espaço para amor e paixão ao mesmo tempo, pela mesma pessoa, depois de muitos anos juntos. É a pessoa que não para de despertar minha admiração, que me faz compreender que alguém especial não é alguém perfeito, mas alguém por quem vale à pena relevar os defeitos”. 
Quem é você? Sorrio-te com os olhos, Segura meu coração, Inspira-me, Potencializa o arco-íris, Torna minha lágrima doce, Mantém a vida tensa, densa E leve… Está perto, mesmo se longe, Embala meu sono, Potencializa meus sonhos, Quem é você? Que me encanta, Que canta, E embala… Minha vida! Toca flauta, piano e bateria, Sapateia, escorrega e caminha A meu lado. Quem é você? Você é alguém especial… Por doar amor Incondicional… Alguém especial”.

No princípio

Eu escrevo, na verdade eu adoro escrever desde os 10 anos, quando ganhei meu primeiro diário, que foi queimado – mas isso é outra história – desde então escrevia nas paredes, portas, na roupa, então juntei umas folhas de papel, fiz um caderno e comecei a escrever poesias do tipo:
 “Te amo tanto
Se eu pudesse me expressar
Mostraria todo meu amor
Diga que sim
Deixa eu te amar”!
Eu sei. Meu maior arrependimento foi ter rasgado tudo. É uma pena.
Bom, claro que tive outros diários que rasguei também. Só restou um que está guardado por 300 chaves, de quando eu tinha dezessete anos e cara… Como eu era bobinha, mas meus sonhos continuam os mesmos, que coisa!
Então surgiram os blogs e claro não perderia o costume de excluí-los de vez em quando.
Mas então que associei esse amor ao Cinema e a Literatura.
Li meu primeiro livro na 8° série > Aventuras no Império do Sol – Silvia Cintra Franco e pahhh mudou minha vida.
Depois vieram os livros do vestibular e me apaixonei por Machado de Assis e Dom casmurroJosé de Alencar e SenhoraClarice Lispector e sua inesquecível A Hora é da Estrela e por fim A Moreninha de  Joaquim Manoel de Macedo.
Mas o ápice, o sonho, a fantasia foi na faculdade: o paraíso da biblioteca. Recheada deHemingwaySartreBeauvoirFitzgeraldSalingerFowlesGaarderKafkaGarcía Márquez… Clássicos né… Por que lá a maioria é só livro antigo e velho.
Já com Cinema meu crush foram os filmes de ação e aventura: StalloneVan Damme,SchwarzeneggerCruiseChristopher Reeve e Harrison Ford.
Mais aí foi só o início da minha personalidade eclética.

Chick-Lit

As opiniões são diversas a respeito desse tema, há quem não considere literatura, eu particularmente gosto. Não é nenhum caso de amor, mas respeito.

Falando em romance, um dos autores que sabe como ninguém a receita é o Nicholas Sparks. Se é pra me matar de chorar fru fru, ele sabe; também adora matar personagem que é uma beleza (ok R.R. Martin também, a diferença é que Martin faz com maestria).

Posso citar Sophie Kinsella, que eu adoro. Além da série com a Becky Bloom, também tem: Menina de 20 e Fiquei com seu Número. Todos bem delícia de ler.

Da Lauren Weisberger, que escreveu “O Diabo veste Prada”, li: “Todo mundo que vale a pena conhecer” que é uma versão mais light do primeiro, tanto é que as críticas foram negativas e pesadas, mas eu achei fofo.

Tenho que falar da Marian Keyes com seu divertidíssimo “Melancia” - Adam ♥

E obviamente tem os “New Adult”, que shame on me li uma boa parte:

  • S.E.G.R.E.D.O – L. Marie Adeline
  • Entre o Agora e o Nunca – J.A. Redmerski
  • Cretino Irresistível – Christina Lauren
  • Um Lugar Para Ficar – Deb Caletti
  • Belo Desastre – Jamie McGuire
  • Trilogia 50 Tons – E.L. James
  • Trilogia Toda Sua – Sylvia Day

Mas no universo New Adult, claro que existem muito mais, a cada ano surge uma história. Nada de tão diferente, afinal os caras são: lindos, atraentes, machos, ricos, muito desejados e abobrinhas. Como já disse uma vez Ivan Martins: é um conto de fadas com gente pelada – não existe melhor definição.

CONTINUANDO… Em alguns livros é inevitável já saber o final, o que não quer dizer que seja chato, pois são bem escritos e despertam desejo.

Okay. Leio porque amo e de vez em quando preciso só me entreter, sem muito drama.

Nada melhor...

…Do que reunir duas coisas que amo: livro e moda.

Claro que quis ler Sex and The City, O Diabo Veste Prada, A Parisiense e sem sombra de dúvidas, Os Delírios de Consumo de Becky Bloom. Com exceção do livro  A Parisiense, os outros foram transformados em roteiro para o cinema, como devem saber, e são imperdíveis.
Há inúmeros títulos relacionados ao universo fashion, mas de acordo com meu modesto bolso e possibilidades dos títulos em português, uma vez que meu nível elementar de inglês me deixa com preguiça… Busco os que mais me despertam curiosidade através das resenhas, absolutamente.
Neles está o estilo de vida das garotas mais antenadas. O mercado fashion. Tudo bem que em alguns há um universo longínquo e as cifras não correspondem, mas vale só pela beleza. Sem falar que dá pra dar um print e mandar a costureira fazer um vestido parecido, fazer um corte legal no cabelo, além de outras inspirações: maquiagem, tabelas de cores…
Coloquei A Parisiense em destaque por que é um livro básico para a mulher, ele mostra que não é preciso ter muita grana pra se vestir bem, sem querer ser clichê… O importante é ter estilo.
Por favor, nada de amar a bolsa e querer uma “inspired” que na verdade é cópia. Nem pense também que existe futilidade, o que existe é consumismo, mas sempre mostrado de um ponto de vista. Ou a personagem é muito rica, ou doente, ou está envolvida com o meio fashion, mas no final há sempre há uma lição.

Clássicos

Romeu e Julieta - Google

Poderia chama-los de dramáticos? Sim, afinal é a vida: um doce-amargo.
Então para começo de post e o primeiro do blog, tenho que falar dos que já li… Todos eles são a narrativa de um estilo de vida. São percepções inteligentes e aprofundadas (cof cof) do ser-humano, até Freudiano: por que não pensei nisso antes?
E eu os adoro por me fazer enxergar possibilidades, entender pontos de vista; não aceitar opiniões, mas respeitar. Ver que existe um mundo fora da minha visão, mas que está ao meu alcance. Eu aprendi tudo isso com eles e cito os livros clássicos, por que foi por onde começou minha paixão por literatura.
Abaixo  meus 5 primeiros:
A Idade da Razão – Sartre
Filosófico, psicológico, fala da sociedade na qual o personagem está inserido. Esses são elementos que me atraem bastante. Esse livro foi meu primeiro clássico. Me arrancou da zona de conforto mental e tive que ler de novo  para saber se realmente foi aquilo o que tinha entendido.
*Cem Anos de Solidão – Gabriel García Márquez
É a estória de uma família, os Buendía, desde a formação de uma comunidade até sua extinção. E se você não sabe o que é um mestre, leia, pois o desenvolvimento é absurdamente perfeito. Ele te guia pelos laços e de repente te corta, para sempre. Terminei esse livro e fiquei chocada, sim essa é a palavra.
*O Sol Também se Levanta – Ernest Hemingway
Paris, Espanha, touradas, paixão… Com certeza um dos meus autores favoritos, mostra a vida simplesmente nua e crua, seus sentimentos, e com a melhor parte: a narrativa.
*Orgulho e Preconceito – Jane Austen
Meu Deus o que eu poderia falar de Jane ♥ ? Esse livro me deu um medo, por pensar que a autora poderia me iludir e me arrasar no final, mas sem dar spoiler… É uma estória de amor, de orgulho, é sobre dinheiro, status e Mr. Darcy ♥. Gosto bastante de Jane, pois ela se aprofunda mesmo na personalidade dos personagens. E como ela é inteligente!!!!
*A Metamorfose – Franz Kafka
Quase passo mal lendo esse livro. É sobre uma mudança radical na vida do protagonista. Em uma determinada manhã ele acorda e está completamente transformado. É uma loucura. Nunca pensei que leria algo tão diferente. O que me induziu a pensar em literatura fantástica. Me causou revolta, pena, enjoo, náusea… Mais uma obra prima.