22 janeiro 2015

[Rotaroots] E Se Eu Fosse Uma Celebridade?

Eu pensei tanto, tanto, é tanta guria talentosa que eu admiro que quase não sai este post! (Grande coisa)
Mas decidi.
Emma Stone


Porque você seria esta celebridade?

Orasss! Apenas porque ela é super-hiper-mega-blaster talentosa e adoro seu sorriso, ela é um encanto *-* adoro o cabelo ruivo dela tbm :) 


Como você se sentiria na pele dessa pessoa?

Se eu fosse “Em” por um dia, me sentiria orgulhosa pelo trabalho que já fiz, (nem falo no namorado né, xá pra lá), aproveitaria de repente para marcar um chá da tarde com Woody Allen, um papo mara com Lena Dunham, ué me jogava nas amizades e estreitava os laços.

 * Loirando *

Porque ela representa quem você é?

Nossa! Bem, ela perece ser bem família, nunca foi envolvida em escândalo, se preserva, ama contar histórias – pela sua arte; já chega mostrando um sorrisão, e tem um senso de humor contagiante – na verdade nem sei se tenho isso né, mas tudo bem.




Ah vai... Maravilhosa né!


"Este post faz parte da blogagem coletiva do mês de janeiro no Rotaroots".


21 janeiro 2015

Era uma vez...

Eu... Que achava saber o que queria, no entanto, parece que posso me adequar ao que surge à minha frente. Isso é meio ruim, porque tirar algo bom de algo, me deixa confusa e me faz pensar muita tolice. Até achar que posso fazer qualquer coisa. E eu não quero.



Às vezes não conseguir o que quero no momento, me faz pensar também que na verdade nem queria tanto aquilo.
Minha linha é tênue quanto a arrependimentos, fazer ou não, ir ou não ir. Minhas ideias mudam tão rápido que só lembro-me de quem sou quando olho no espelho.



Essa saga de não saber o que se quer de verdade é frustrante, porém tô aceitando minha capacidade de não me conformar com nada, dois lados de uma moeda.

Às vezes sinto uma angústia por saber que viverei determinada situação, mas quando olho de perto, quando vivo de fato, percebo que até me sinto bem por poder enfrentar qualquer treta dessa vida.


Pode ser que também seja falta de maturidade, vai saber...
Só preciso organizar meus pensamentos e coração. Muito fácil.


20 janeiro 2015

Meu melhor esporte

Sim, garfo e faca.

No entanto tenho que dizer meu maior defeito, sou preguiçosa, então vou achar o máximo não fazer nada e partir para o principal: comer.

Porémmmmm em 2015 resolvi fazer várias coisinhas diferentes, não sei por que, mas cismei com esse ano; e uma delas é me aventurar na cozinha, tudo bem que só uma vez perdida no mês e claro para começar fazendo um brigadeiro e tal, mas assim já é um começo né!

Fui caçar canais, já sou inscrita no da Danielle Noce e através dela achei estes abaixo que perceberão ter em sua maioria sobremesas, ué mais fácil e mais gostoso obviamente!
















16 janeiro 2015

Amorzão >> Histórias de Amor (Liberal Arts)

Compro livro pela capa e assisto ao filme pela sinopse, essa sou eu na maioria das vezes! E se os atores não forem conhecidos, mas a história interessante, não penso duas vezes!
Tudo bem que uma resenha apaixonada me faz baixar o filme em dois tempos!!!!


Assisti a este filme sem pretensões, vi Elizabeth Olsen e sou gamada nela (como sou por Emma Stone – Anne Hathaway – Amy Adams – Alexis Bledel – Leighton Meester e Mandy Moore) então, porque não dar uma chance?

Nem teve estreia no cinema o pobre...

Eu sou uma coisa sabe... Lembro-me da história e tal, mas se me perguntar os nomes dos personagens, já era, foi-se, não lembro, exceto Gideon Cross e Christian Grey hehe – enfimmmmm:

Personagens:

Jesse Fisher é um trintão, eu gostei dele, ele tem senso de humor, apesar de umas atitudes durante o filme que me faz questionar sua maturidade, mas então eu penso que têm pessoas que são assim mesmo. Ele é convidado por seu ex-professor de faculdade para prestar-lhe uma homenagem, pois se trata de sua aposentadoria. Ele volta à faculdade e tem seus momentos nostálgicos.
 
Zibby, vivida por Elizabeth Olsen – é uma jovem que está na mesma faculdade e seus pais são amigos do professor homenageado, então eles se conhecem. Ela é super articulada, adora literatura e música clássica, e isto o conquista rapidamente.

Pause:

Preciso falar de Allison Janney, ela interpreta uma professora, que Jesse considera a melhor que ele já teve em todo o curso. Ponto.
Que mulher, que atriz, cara ela é uma deusa.

Play: 
O relacionamento deles começa a fluir, eles se correspondem, aprendem mais com o outro, mas o que me faz gostar do filme é que Jesse me decepciona, muitas vezes, afinal quem é perfeito? Isso faz o desenrolar da estória e tira de vez a possibilidade de se tornar clichezão.

E é isto caras, assistam, porque se eu falar mais vou soltar spoilers, vale a pena, é um romance diferente dos quais assisti, por isso gostei bastante. Os personagens me conquistaram rápido. Eu sou bem fácil, na verdade hehe.








08 janeiro 2015

[Rascunho] Sobre o meu tempo

Eu tenho uma mania ruim de abrir um post e marcar para ler depois. 
Começo a ler o primeiro capítulo, mas vou para o instagram inevitavelmente.
Penso em não ir aquele passeio que vai tomar meu tempo que poderia estar descansando, mas descansando do quê?
Aquela oportunidade de Emprego que aparece e não vou por medo, de quê mesmo?

Abri um e-mail hoje do Fred Mattos (Psicólogo que assino a newsletter) e mais uma vez me questionei sobre essa infinita vontade de querer fazer tudo, mas ao mesmo tempo pensar que não tenho tempo, pois ele vai ser desperdiçado fazendo exatamente o que quero, e isto é contraditório e até mesmo confuso.



Mas é isto, a vida não tem nenhum botãozinho pra parar o tempo né mores!

As perguntas do e-mail eram essas:

·         O que fez em 2014 que foi significativo?
·         O que pretende fazer em 2015?

Tô pensando até agora... Por que na verdade a minha mente para, volta a pensar e não chega à conclusão nenhuma. 
Só tem um nome pra isso: PREGUIÇA.

Então depois de intermináveis minutos, minha resposta:

De significativo: permitir-me (esse corretor do Word ¬¬), não totalmente, mas abri um grande espaço pra minha vida, amadureci, me conheci bem e de uma vez por todas sei exatamente onde quero chegar e o que não é bom pra mim.

Descobri que pequenos gestos são importantíssimos – NA PRÁTICA. Soube o que as palavras significam.
Conheci histórias incríveis de amigos, de conhecidos, enfim aprendi pelas histórias dos outros.

Aprendi muiiito sobre mim. Sério mesmo.  Este ponto foi o que me marcou bastante, por isso repito. A maioria foi a descoberta de defeitos e fraquezas, até porque qualidades eu já sei hihi

Descobri que sou influenciável por adolescentes hahah talvez eu não tenha saído né migos da adolescência! Claro, até certo ponto tá, plmdds!



2015 meu amor:

Bem, querido ano novo já estou mais consciente e minha cabeça não me deixa procrastinar mais. Não me deixa passar despercebidos os erros que cometi por tanto tempo e só abafando.Afinal tenho 28 anos!!!!!
Quero me mover mais. Nos mais variados sentidos.

Terminar meu livro, mesmo que nunca seja lançado.
Aprofundar-me em minhas crenças.
Fotografar mais.
Consumir menos. Investir mais.
Expressar-me melhor.

Dizer mais Eu te Amo.
Aprender Origami haha e outros trabalhos manuais.
Definir exatamente meus sonhos e como conseguirei realizá-los.
Este ano começou mostrando mais de mim, gente eu não sabia que podia ser tanto! E claro estou mais resiliente, com menos desculpas e mais ação. Aliás, para encerrar, este será meu mantra: Ação!