23 fevereiro 2015

{Resenha} Fale! - Laurie Halse Anderson

A história começa com Melinda Sordino narrando seu primeiro dia no ensino médio e sua péssima reputação. No ano anterior aconteceu algo que fez com que todos os alunos a odiassem, incluindo suas amigas que sequer esboçam um olhar agora.

Melinda quer explicar o que aconteceu e o que a fez tomar a tal atitude geradora de ódio, mas não consegue falar, não consegue se impor, revidar, se defender. Coisa que no ano anterior não era nenhum problema.

Então... 

Não é apenas sobre bullying, mostra também como o ambiente familiar interfere na personalidade, como um professor pode representar um ponto de fuga, e como eles podem ser injustos e de maneira geral mostra o julgamento alheio e cruel.

O livro aborda toda a intensidade, a tensão, a dificuldade de uma pessoa que não consegue se libertar do silêncio, até porque se fechou completamente em sua dor. Eu achei perturbador, ficava torcendo pra ela falar, eu ficava Fala Mel, fala pelamorrrrrrrrrr...

Aos poucos ela vai revelando a causa do problema, vai buscando na arte sua maneira de se expressar, vai errando, acertando um pouco de cada vez, não consegue muito, mas ela sabe o que tem que fazer.

No final temos uma entrevista enorme com a autora contando sua inspiração e muitas outras coisas. Até gostei disso. Tem também vários detalhes para auxílio pessoal a respeito do tema principal que você saberá ao ler. O livro se tornou um referencial para o tema, considerando lá na gringa com muito prestígio.

Ahhh descobri por essa entrevista que foi feito um filme, aqui no Brasil o título ficou “O Silêncio de Melinda” que horríveelll! Mas, na versão americana é Speak mesmo.

Assisti ao filme, claro. Melinda é interpretada por Kristen Stewart. A história é praticamente igual, fiquei muito feliz com o final e com uma cena em particular, a maneira que acontece, no livro as respostas estão na cabeça de Mel e ela não fala e no filme ela fala e eu dou pulos de alegria hehe. Kristen em algumas cenas é ótima, mas em outras me lembra tanto Crepúsculo que me incomoda. Longe da personificação da minha cabeça, mas ela não é ruim.

A autora no final do livro deixa uns exercícios enormes pra gente praticar identificando as diferenças do livro com o filme. Achei legal isso porque acho curioso como um roteiro é adaptado.

No mais é isso, livro incrível.

13 fevereiro 2015

10 Coisas que marcaram o Colégio

Os fatos mais marcantes da minha vida escolar. 
Eita Senhorrrrrr foi um bom tempo!!! Não estou seguindo nenhuma ordem especial. Então vamos lá:

Covers de N’Sync e Backstreet Boys

Tínhamos na Escola uma sala de dança com espelhos nas paredes, então toda a tarde, na hora do intervalo, um grupo de meninos gatinhos se reuniam para dançar as músicas, eu amava assistir, principalmente Bye Bye Bye.



Marquinhos

Meu amor platônico – lindo – cabelo – estiloso, do colégio Não sei da sua vida agora, mas nunca te esquecerei.

As festas da aula de Artes

Minha turma era muito esforçada e COMPETITIVA, então a gente sempre queria tirar as maiores notas em relação as outras turmas da mesma série. 
E uma das que a gente arrasou foi a do carnaval.

Disk MTV

Amavaaaaaaaa de paixão. Não perdia, fala sério. Todo aquela cenário clínico kkkkkkkkkkkkkk muito amor gente!

Clipe de Lucky - Britney Spears

Quando começava a introdução, porque eu podia estar fazendo o mundo, mas deixava ligado na MTV, eu corria feito loka pra ver o clipe, adooorava. Gente sem noção, me marcou muito porque eu esperava pra ver todo dia e não cansava, foi aí que comecei a amar inglês.


Merenda

Hahahahahaha tipo uma guerra na cantina porque a galera era esfomeada e aprontávamos muito. O portão de acesso às salas eram trancados religiosamente ao fim do intervalo, então azamiga entravam na sala pela janela, lógico que só quando os prof saíam da sala ou  na cara de pau mesmo.

Sweet Child O’ Mine – Guns N’ Roses

Foi o primeiro rock que ouvi, sério!
Me apaixonei perdidamente, depois dessa música só foi banda rockista surgindo.



O primeiro vestibular

E eu passeiiiiiiiiiiiiiii hehe
Não era pelo Enem ainda. Foi inacreditável ver meu nome aprovada cara!!!!!!!!!!

Maiando nos ônibus

Eu e as minhas amigas tínhamos ideias absurdas né, como sempre. Às vezes largávamos cedo e nosso destino era sempre a praia, e como estávamos sempre lisas, tínhamos a brilhante estratégia de subir no busão e toda vez que chegava a hora de pagar, passávamos o cartão de uma, claro dava zerado e fazíamos cara de drama: “eita acabou meus créditos e agora?”... Na maioria das vezes o cobrador não deixava a gente viajar de graça e descíamos, íamos nessa saga até que um deixava e chegávamos ao destino.

Nossa turma apareceu no Jornal Impresso da Cidade

Gente isso não foi legalllllllll meo, de jeito nenhum.
Três jornalistas foram à Escola – que é Estadual – fazer uma matéria sobre a greve, o ensino público e tal.

Então que duas peças raras da turma começaram a desabafar e tipo, desceram o aço, então outra parte da galera se motivou e falaram pra valer. Reclamaram que os professores faltavam muito e quando vinham só enrolavam, que os banheiros nunca tinham papel higiênico, que não tínhamos merenda todos os dias, gente!!!!!!!!!! E outras coisas.
Quando essa matéria saiu, com destaque e na foto três dos nossos colegas de turma, foi um auê tão grande, veio professor, Diretor e o escambal, falar com a gente, foi triste, fomos repreendidos mas perdoados hahahahaha

Bem os mais marcantes foram esses e que eu esteja lembrada craruuu... ai ai que massa!


 Este post faz parte da blogagem coletiva promovida pelo Rotaroots.
Um grupo que valoriza e incentiva a blogosfera old school. 
Para saber mais e participar clica aqui

09 fevereiro 2015

[♥] Romance [♥]

Como já cantaram os Beatles: All We Need Is Love... Umpf! Que comecinho clichê esse né!
Não importa, tudo é amor, o que importa é o amor, tudo que precisamos é de amor... Não quero me estender sobre o significado da palavra porque há várias formas não é? Pois é!
Por isso que esse gênero pra mim é unânime, uma pitada de drama faz parte para equilibrar o clima, e claro um final feliz pra fechar a trama, afinal sou um ser humano otimista.

Por isso, aqui vai uma lista dos meus livros fru fru favoritos.

Com uma certa atmosfera de Um dia, mas voltado para o público jovem adulto, A probabilidade estatística do amor à primeira vista é uma história romântica, capaz de conquistar fãs de todas as idades. Quem imaginaria que quatro minutos poderiam mudar a vida de alguém? Mas é exatamente o que acontece com Hadley. Presa no aeroporto em Nova York, esperando outro voo depois de perder o seu, ela conhece Oliver. Um britânico fofo, que se senta a seu lado na viagem para Londres. Enquanto conversam sobre tudo, eles provam que o tempo é, sim, muito, muito relativo. Passada em apenas 24 horas, a história de Oliver e Hadley mostra que o amor, diferentemente das bagagens, jamais se extravia.

Olha a sinopse haha eu adorei esse livro, bem teen, mas fofo!!! 

Tudo muda na vida de Fani quando surge a oportunidade de fazer um intercâmbio e morar um ano em outro país. As reveladoras conversas por telefone ou MSN e os constantes bilhetinhos durante a aula passam a ter outro assunto: a viagem que se aproxima. 
“Fazendo meu filme” nos apresenta o fascinante universo de uma menina cheia de expectativas, que vive a dúvida entre continuar sua rotina, com seus amigos, familiares, estudos e seu inesperado novo amor, ou se aventurar em um outro país e mergulhar num mundo cheio de novas possibilidades. 

Sei nem o que falar de Fazendo meu Filme, só muito amor!!!

Cath é fã da série de livros Simon Snow. Ok. Todo mundo é fã de Simon Snow, mas para Cath, ser fã é sua vida – e ela é realmente boa nisso.  Escreve um fanfic sobre a série, diferente de sua irmã gêmea, Wren, que ao crescer deixou o fandom de lado, Cath simplesmente não consegue se desapegar. 
As duas estão indo para a faculdade, e Wren diz que não a quer como companheira de quarto, Cath se vê sozinha e completamente fora de sua zona de conforto. Uma nova realidade pode parecer assustadora para uma garota demasiadamente tímida. Mas ela terá de decidir se finalmente está preparada para abrir seu coração para novas pessoas e novas experiências. Será que Cath está pronta para começar a viver sua própria vida? Escrever suas próprias histórias?

Nem sei quantos risinhos bobos eu dei pra esse livro hehe

Emma Corrigan é uma inglesa perto dos 30 anos, mas longe de uma definição na vida. Funcionária Júnior da Panther Corporation, Emma vai a Glascow participar da reunião de marketing sobre um novo refrigerante, a Panther Cola. O que parecia uma grande oportunidade profissional se transforma num pesadelo. Como se não bastasse ter derramado a bebida num superior, seu voo de volta para casa quase cai. Acreditando estar a um passo de uma morte trágica, ela conta todos os seus pequenos pecados para o passageiro ao lado. Afinal, qual a probabilidade de vê-lo de novo? Ainda mais com vida? Mas o destino decide brincar com a protagonista: o avião pousa em segurança e o distinto cavalheiro nada mais é que o fundador e presidente da empresa onde trabalha. E além dos segredos pessoais, Emma abriu o verbo sobre todos os colegas da Panther e suas estratégias para enrolar no serviço. Para recuperar o respeito profissional - e voltar às boas com o pessoal do escritório - Emma se mete nas situações mais inusitadas, quase novelísticas. Mas com as quais todas as mulheres acabam se identificando.

           Nem sei quantas vezes ri alto nesse livro!! Muito hilário.

Tô louca pra reler, mas só quando acabar de ler o que me resta na estante, que, aliás, não para de crescer, uma vez que não paro de comprar ¬¬

P.S. Todas as fotos são da Mel E as sinopses do Skoob.


04 fevereiro 2015

Saga - Jogos Vorazes ♥

Tentei parar e escrever depois, porém estou tão absorvida pela saga que até sonhei, sem falar em um sentimento no coração que nem sei como explicar.
E a música “Hanging Tree” não ajuda tocando dia e noite no meu celular. Transportando-me para Panem, para a Arena, para vida dos personagens.

Após o fim da América do Norte, uma nova nação chamada Panem surge. Formada por doze distritos, é comandada com mão de ferro pela Capital. Uma das formas com que demonstram seu poder sobre o resto do carente país é com Jogos Vorazes, uma competição anual transmitida ao vivo pela televisão, em que um garoto e uma garota de doze a dezoito anos de cada distrito são selecionados e obrigados a lutar até a morte! Para evitar que sua irmã seja a mais nova vítima do programa, Katniss se oferece para participar em seu lugar. Vinda do empobrecido distrito 12, ela sabe como sobreviver em um ambiente hostil. Peeta, um garoto que ajudou sua família no passado, também foi selecionado. Caso vença, terá fama e fortuna. Se perder, morre. Mas para ganhar a competição, será preciso muito mais do que habilidade. Até onde Katniss estará disposta a ir para ser vitoriosa nos Jogos Vorazes?

Li a saga em duas semanas, mas porque trabalho, senão teria sido, sei lá dois dias? Haha sério, eu mal conseguia dormir querendo saber a próxima cena.

Ler esses livros depois de ter assistido aos filmes foi uma experiência interessante, queria ter lido primeiro, com certeza teria aproveitado todas as emoções de verdade, no entanto me arrebatou profundamente. Nem precisei imaginar os personagens né, tudo que eu lia já ia associando, lembrando-me do filme, aliás, o roteirista e diretor estão ó de parabéns haha fizeram uma ótima adaptação. Fez-me entender como funciona uma adaptação direitinho, uma aula!!


É um romance e drama psicológico, como podem dizer que é infanto/juvenil... É tão sério, tão articulado, pensamentos totalmente maduros, perspectivas tão profundas e filosóficas!! Principalmente o último livro “A Esperança”.

A música, Hanging Tree, ai ai que arranjo final de tirar o fôlego, te preparando para o perigo iminente; tudo é bem abordado, consciente, bem feito. Apaixonei-me perdidamente. Deus do céu!!!



Não consigo esquecer esse livro pelamorrrrrrrr haha tentei ler Fangirl hoje, quem disse que consegui, como falei no instagram, é muito sentimento para se lidar. Preciso de mais tempo, essa ressaca literária não quer passar.

Também, confesso, não quero esquecer tão rápido.
 A última parte no cinema este ano, meu bem, será arrasador, quero nem dizer, só sentir.